quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

(FF XV) Capítulo 13 - Puro terror

Este trem é sinistro demais! Continuamos a caminho da cidade imperial e lá vem outra parada imprevista e lá me vou investigar o que aconteceu. E descubro que Ardyn retirou nossas armas. Com o trem lotado de demônios e sem poder lutar só nos resta a fuga com o Regália.


Segue-se uma corrida doida tentando entrar nos portões de Gralea antes que se fechem. Gladio avisa: não bata! Eu bato. Pior, fico encalacrada no tunel, sem conseguir sair do lugar. Os portoes fecham. Game over. Recomeço e aí consigo. É uma doideira. Tudo explodindo ou desmoronando ao redor. Chegamos à cidade. Regália todo destruído. Até Noctis fica triste olhando para seu estado. Eu também. Tinha ficado tão feliz de voltar a ele.


E subitamente estou sozinha. Sem armas, sozinha na cidade dos inimigos, cercada de demônios...


Felizmente Noctis resolve usar o anel dos Lucis e tenho um ataque com que me defender e ao mesmo tempo restaurar minha vida. Estou em algum lugar da cidade, tentando chegar ao cristal e ao Prompto. Tenho que apertar os botões de controle para destravar portas e me defender dos demônios ao mesmo tempo. Felizmente são fáceis. Por enquanto. :(

Isto é um labirinto, mas fácil neste início. E ganho mais um poder do anel. Encontro um dormitório. Não tem Umbra, mas ao menos posso salvar. Aprendo mais um ataque com R1 e triângulo. Este anel é bonzinho até.

Sempre escuro, Noctis sozinho, sem armas. Não posso dizer que me sinto confortável. Este ambiente começa a me deixar apreensiva. E o Ardyn tripudiando.


Aparece um inimigo sinistro. Tenho a opção de esconder, mas não adianta muito, porque não tenho como prosseguir. Luto com ele e quase morro, mas consigo vencer. Só que parece que tem mais deles. Minha vida está ficando difícil.

Ai caramba! Que susto! Fui pegar um item no chão e surgiu um monstro. O Noctis matou automaticamente. Melhor forma de derrotar este bichão é com o quadrado mesmo.


Este caminho não está cheirando bem, mas não tenho outra opção. Será que eles vão reviver quando pisar neles? Não. Estão mortos mesmo. O que é pior, porque algo ou alguém os matou. Ouço a voz de Prompto e prossigo em sua direção pisando em muitos cadáveres pelo chão. Aff... Estou gostando nem um pouco... Ainda bem que tirei a música. Posso imaginar como deve ser. lol

Um dos demônios buga e me ataca sem dar danos. Como resultado não consigo acionar o quadrado. Ficamos os dois naquela coisa um tempo. Tento fugir e dou de cara com outro. Resolvo usar o recurso extremo do R1 + triângulo e desaparecem. Assim como o povo do Whatsapp: me deixam sozinha para fazer este capítulo de terror.


Algo me diz que não é o Prompto. Medo de prosseguir. E a voz do Ardyn? Erghhh... Alguém, por favor, avisa a Square-Enix que isto é suposto ser um jRPG bonitinho e não um filme de terror?

Merda! Eu sabia que uma hora estes cadáveres no chão iriam reviver! Que susto! lol


Se ele sugere isto, então é o que eu NÃO devia fazer. Infelizmente não tenho opção.


Agora me digam, que condições eu tenho de lutar com um gigante de ferro nesta situação, sem armas e sozinha??? Achar a chave do elevador é outro quebra-cabeças.


Tem que ir para a esquerda, pegar o elevador subindo e seguir contornando até encontrar o outro elevador que está do lado direito do mapa.


Peguei a espada do Pai. Ao menos posso me defender com ela.

Fortaleza de Zegnautus, isto é o inferno.

São vários andares. Eu subo, subo, subo e nada de acabar. Estou cansada, é tarde. Amanhã termino.

...

Recomeço. Mais demônios, mais portas, mais elevadores, mais sustos, mais a voz do Ardyn zombando. E ele tripudia com gosto. Faz armadilhas, falsas saídas, falsas oportunidades. Como o André disse, talvez o objetivo deste capítulo seja nos deixar com raiva dele. E deixa. Com uma p... raiva!!!

Mas enfim reencontro os meninos e depois o Prompto. Seguimos para o que parece ser um boss. Depósitos de matérias elementares e lojinha. E eu... dêem uma olhada na minha situação financeira e o que eu posso comprar:


Triste, muito triste. Eu tenho 3 superpoções. Vai ter que ser suficiente. Na verdade tenho bastante elixir e alguns megaelixir, mas vou usar nas dungeons. Não vou gastar com boss da história. Tenho bastante phoenix, então vou deixar os meninos morrerem e revivo com elas. E as superpotions uso comigo. Esta é minha tática.

Vou para a luta. Foi a luta mais duradoura até agora. Ele tem bastante vida. Mas minha tática funciona. Na verdade acho que só usei uma superpotion e algumas plumas de Phoenix. Deve ser coisa da Ascenção, porque sempre que estão para morrer os meninos recuperam um pouco de vida. Acabam morrendo algumas vezes porque o boss tem um ataque sinistro que é kill em quem pega. No Noctis dá tempo de usar a superpotion. E não, eu não estou no modo fácil. Dias atrás estava tudo tão fácil que me bateu a dúvida e fui lá checar. rs

Eu queria poder falar mais deste boss, porque é um choque. Mas seria muito spoiler, infelizmente. Só posso dizer que é mais um acontecimento triste e desolador para o Noctis.

Quando finalmente vencemos, surge uma horda de demônios. Muitos, muitos, muitos. Meu Deus, este capítulo não termina nunca?!?!


Teria sido impossível para mim na minha situação derrotar todos, mas acontece e estou fora da luta, correndo para o próximo objetivo.

E lá novo acontecimento com o Ardyn. E ele explica tudo em 3 frases curtas. Ou seriam 4? Eu tenho que rever esta cena no youtube para checar. Fico imaginando uma super cgi mostrando os acontecimentos aos quais ele se refere.

Tanta coisa fica em aberto. Eu quero saber mais. Quem foi o Rei a quem ele se refere? Por que isto? Por que aquilo? Ok. Eu posso juntar os pedacinhos e ter uma noção. Mas eu não quero fazer isto, eu quero ver tudo se desenrolando frente aos meus olhos, quero sentir a coisa acontecendo!

Bom, não adianta ficar chorando pitangas. Square-Enix decidiu fazer assim, sucinto, mínimo, lacônico. Básico. E é o que temos para hoje. E está bom. E vamos que vamos.


E Noctis também é informado de sua verdadeira missão como Rei dos Reis. Eu gostei muito desta parte. Muito bonita e com a tonalidade certa para a gravidade do tema. E gostei do porta voz também! ;)



Pausa para reflexão. Eu achei que foi um momento muito pequeno, mas quando voltou, entendi que não foi assim.

Eu gostaria de esperar que tivesse alguma explicação sobre este período, mas não vou esperar por isto.

Capítulo acabou, ufaaaa!!!

0 comentários:

Posts relacionados: