sábado, 13 de março de 2010

A estória de Final Fantasy XIII

Lightning observa Cocoon à partir de Pulse.


Cerca de 1.300 anos atrás a humanidade do planeta Pulse vivia em meio ao terror e à escuridão, governados por seres mecânicos chamados de fal’Cie que foram criados à partir de cristais por um ser denominado Marcador e imbuídos de poder divino.

Um grupo destes fal’Cie, desejando dar à população um ambiente de paz e prosperidade, criou um mundo artificial suspenso no céu de Pulse - uma espécie de colônia espacial - denominada Cocoon. Milhares de habitantes foram transferidos para o paraíso tecnológico, sob o comando do fal’Cie Orphan (Órfão).

Os fal’Cie de Pulse e de Cocoon entraram em disputa pelo controle da colonia, no que foi chamado Guerra das Transgressões, vencida por Coocon. Os fal’Cie de Pulse permaneceram adormecidos nos próximos 13 séculos e Coocon floresceu sob o governo de seus benevolentes fal’Cies.

Nos dias atuais a maioria dos habitantes de Coocon nem mesmo conhece Pulse, apesar de perdurar o temor de uma nova invasão vinda do planeta amaldiçoado. Todos os que entram em contato com Pulse são exilados para lá por determinação do governo local, o Sanctum, através da força policial PSICOM.

Os fal'Cies de Pulse são despertados por um fal’Cie traidor, o que provoca aumento significativo no expurgo dos habitantes de Coocon para Pulse e o governo outrora benevolente do Sanctum se transforma em ditadura na tentativa de restabelecer a segurança da colônia.

Um grupo de habitantes denominado NORA (acrônimo para "sem regras, sem leis, sem governo") reúne-se para liderar a resistência ao expurgo e combater o Sanctum, enfrentando os Psicoms.

Algumas pessoas são escolhidos pelos fal’Cie para desempenharem uma tarefa e podem ser reconhecidos pela marca característica que estará em alguma parte de seu corpo. Eles são denominados l’Cie e não sabem qual a missão que devem cumprir, embora exista um prazo para que seja concluída.

Os l’Cies ganham o poder de invocar os poderosos seres divinos conhecidos como summons, entretanto, ser marcado é considerado uma maldição, porque aquele que não cumprir a tarefa dentro do prazo ou morrer sem que seja concluída, será transformado em um monstro chamado de Corpse Cie.

Concluir a tarefa não resulta em melhor destino: os l’Cies são transformados em cristais.

Além do destino cruel os l’Cies são considerados como inimigos e traidores de Cocoon, pois a maior parte deles foi marcada pelos ambiciosos fal’Cie de Pulse e as missões têm por objetivo ajudá-los na derrota dos l’Cies de Coocon.

Todos os personagens jogáveis de Final Fantasy XIII são l’Cie, mas a estória deles e de como cada um foi marcado ficará para outro post.

...

Esta é a base, o início da estória sob o qual o jogo se desenrola. Nossos heróis não apenas devem superar o estigma da marca, fugindo da polícia local, como ajudar a derrotar os fal'Cie de Pulse que querem dominar Cocoon, descobrindo o traidor e restaurando a ordem.

Interessante, não? Eu adorei! :DD

8 comentários:

Anderson Reuse disse...

Sem dúvida essa é uma das melhores histórias de todos os FF, gostei muito do blog você ganhou um fiel seguidor.

aitinerante disse...

Anderson, é uma estória muito bem acabada, com as pontas todas fechadas e muito crível. Ainda vou escrever um post com minha análise da estória toda, agora que acompanhei o desenrolar dos eventos até o final. O final é impressionante, com o Orphan explicando porque criou Coocon e os fal'Cies e o desprezo dele pelos humanos. "Vocês humanos, tem que ser assim tão ... humanos!" lol

Muito interessantes mesmo!

Já estou ansiosa por Versus.

Obrigada pelo elogio! :D

Gabriel disse...

Olá!!!

Gostaria de saber se tem um post com a estória toda de FFXIII.

Por não entender muito de inglês tem partes que não entendo da estória.

Obs: O Blog está muito bom. O melhor de FFXIII que vi até agora!!!

aitinerante disse...

Olá Gabriel,

Tenho o mesmo problema e já andei fuçando a net mas não encontrei a estória inteira nem em inglês. Se você encontrar, mesmo que em inglês, avisa que eu traduzo e posto aqui.

Abraços

Gabriel disse...

Procurei na net também só q não achei nada. =/

Se achar pode deixar q eu te aviso.

Abraços

aitinerante disse...

Ok Gabriel, combinado! Bom jogo!

Chainsaw disse...

Oi, gosto muito do seu blog, me ajuda bastante no jogo. Mais o link da pagina é: 'A "estória" do jogo'. Não seria 'A "História" do jogo'.
Abraço

aitinerante disse...

<span>Oi Chainsaw,</span>

<span>Do dicionário Michaelis: </span>

<span>estória</span> - <span>es.tó.ria</span> -
<span> sf (gr historía) Narrativa de lendas, contos tradicionais de ficção; "causo": "Ouviram atentos aquelas estórias de mentira, da ´mula-sem-cabeça', do saci, do curupira. Mais tarde tiveram que mergulhar fundo nas histórias de verdade, para saber como foi construído o Brasil" (Francisco Marins).</span>

<img></img> <img></img>


<span>história - </span><span>his.tó.ria</span>
<span> sf (gr historía) 1 Narração ordenada, escrita, dos acontecimentos e atividades humanas ocorridas no passado. 2 Ramo da ciência que se ocupa de registrar cronologicamente, apreciar e explicar os fatos do passado da humanidade em geral, e das diversas nações, países e localidades em particular. 3 Os fatos do passado da humanidade registrados cronologicamente. 4 Ramo da ciência que se ocupa com a natureza animada e inanimada. 5 Tratado acerca da origem e desenvolvimento de uma nação, ciência, arte etc. 6 O futuro, considerado como juiz das ações humanas: A história o julgará. 7 Biografia de uma personagem célebre. 8 Exposição de fatos, sucessos ou particularidades relativas a determinado objeto digno de atenção pública. 9 Narração de aventura particular. 10 Desavença, questão, disputa.</span>

Ou seja, o correto é estória quando se trata de ficção e história quando se trata de fatos verídicos. Existe uma certa maleabilidade nesta regra e aceita-se o uso de história mesmo quando trata-se de ficção, mas o correto é estória, com e.

Abraços

Posts relacionados: