terça-feira, 30 de julho de 2013

Velhinha e cansada




Não sei quantos de vocês acompanharam a maratona de Speed Running. Eu e meu filho mais novo, com certeza e André também. Último jogo que vi foi Final Fantasy IV ontem, finalizado em 2:21 hs. Tá certo que no finalzinho usou um bug doido que o jogou direto nas lutas finais, mas já estava quase lá quando isto aconteceu e foi uma experiência e tanto ver isto.

Eles arrecadaram US$ 253.326,66 em donações para os Médicos sem Fronteiras, nestes 5 dias que passaram confortavelmente sentados, jogando e rindo entre amigos, ou seja, sem o menor esforço, fazendo exatamente o que gostam de fazer. Tão raro!

Adorei observar aquele grupo de gamers doidos, totalmente enturmados e desencanados da vida, parecendo absolutamente relaxados, como se não houvessem sempre ao menos 30 mil pessoas assistindo.

Ontem mesmo me deparei com este post e fiquei pensando em porque não poderia ser sempre bonito e agradável. Porque atos como esse e confraternizações com intenções de caridade ou simples diversão tem que ser praticamente uma utopia?

Não pode, porque faz parte do ser humano não cultivar o bonito, o agradável e simples. Porque gostamos de dificultar e complicar. Eu inclusa. Lástima!

Eu blogo desde Jul/08 e sempre foi gostoso, mas os primeiros tempos em que bloguei sobre Final Fantasy foram os melhores. Era divertido, instigante, criativo, desafiador. Era uma festa diária de confraternização.

Depois vieram os meses de espera pela Conferência de 18/01/11 onde todos esperavam o anúncio do próximo Final Fantasy: Versus! Fizemos contador de dias e vivemos em agonia contando os minutos até o anúncio. Eis que Versus só ganha um novo trailer, com quase nada de novidade e o novo Final Fantasy anunciado é XIII-2. E dali por diante foi uma descida ladeira abaixo.

Aquele foi exatamente o ponto decisivo. A conferência dividiu os fãs em duas grandes facções: os que apoiam a Square-Enix, seja lá o que ela fizer e os que nunca se conformaram com o rumo dos acontecimentos e que gritaram e esbravejaram, clamando pelo retorno dos Final Fantasy tal como amavam, grupo no qual me inclui. Naturalmente as duas partes se odiavam e etc... etc... etc...

Naqueles tempos, ninguém estava entendendo direito o que acontecia e foi só ao longo destes mais de dois anos é que fomos juntando os pedacinhos do quebra-cabeças até formar o painel completo que temos hoje: Final Fantasy tal como amávamos não voltará a existir, morreu, acabou. Em seu lugar foi surgindo um novo gênero, baseado em ação, mais fácil, rápido, ágil, dinâmico, adaptado ao perfil dos novos jogadores.

Fico pensando: se naquela época eu já visse o quadro completo e entendesse a inevitabilidade e a inexorabilidade (algo que não pode ser evitado ou alterado) teria agido da mesma forma? Provavelmente não despenderia tanto amor, tanta energia e sentimento em algo que não mudaria. Teria aceitado tal como aceitamos a morte e outros destinos inevitáveis.

Apenas não gostaria, como não gosto, que tenham mudado o produto sem uma notificação expressa. Ainda penso que o correto teria sido a adoção de outro nome para esta outra franquia, de forma a não confundir os fãs, mas mesmo isso sei que não teria sido feito, pois o objetivo era justamente esse: aproveitar os fãs de Final Fantasy clássico enquanto não arrebanham novos fãs para o novo estilo.

Mas, principalmente, teria evitado envolver-me com muitas discussões com os fãs da outra facção. Eles é que são felizes, afinal de contas. Eu os invejo porque não perderam algo importante, como eu e os do meu lado perdemos. Não ficaram orfãos de uma série que amavam, não foram espoliados como fomos. Eles são realmente felizes, ao menos mais do que nós. E hoje não me sinto mais com o direito de tirar esta fantasia de ninguém e peço desculpas se tirei ou dos que tirei.

Em virtude destas divergências e devido à minha descrença na SE, acabei me afastando do blog, o que senti muito, pois realmente gosto de blogar.

Quando comecei a jogar o Beta Test de Final Fantasy XIV empolguei-me e senti desejo de voltar a blogar e imaginei que poderia ser como antes: uma festa, repleta dos fãs de Final Fantasy e todos felizes, etc...

Não sei como ainda posso ser tão ingênua às vezes, mas é assim que sou. Memória curta. lol

Final Fantasy XIV nem foi lançado e já há brigas e disputas entre os players brasileiros. E eu olhando as coisas acontecerem fico pensando na utopia com a qual comecei este texto: porque não podemos simplesmente estarmos juntos, jogando, que é o que gostamos e nos confraternizando?

E a resposta é a mesma: porque somos humanos, cheios de falhas e defeitos.

Olho para o futuro dentro de FF XIV, blogando sobre ele e sinto-me uma velhinha cansada e sem ânimo. Tenho 46 anos, já vivi muitas vidas. Não me sinto com energias para enfrentar isso, nem mesmo para ver acontecendo com outros. Eu só quero jogar meu joguinho, em paz, tranquila e relaxada.

Definitivamente não vou blogar sobre FF XIV por causa dos players, não do jogo, que achei impecável. Nem sei se vou jogar, talvez, usando algum outro nome, passando despercebida... Não sei. Vou esperar a última fase do beta antes de decidir.

Acredito que continuarei a blogar, porque amo isto. Não sei sobre o quê ou quando, mas quando os dedos começarem a coçar, inquietos e com vontade de escrever ou quando meu interesse for despertado por algum fato ou algo que terei que dividir com as pessoas. rs

Enquanto isto fica aqui, aberto para as consultas.

Até breve.

0 comentários:

Posts relacionados: